Confira como ver a Estrela de Belém

Cerca de uma hora após o pôr do sol, será possível nesta segunda-feira (21), caso o céu esteja limpo, ver a Estrela de Belém, fenômeno que acontece depois de 800 anos

Júpiter e Saturno, os maiores planetas do sistema solar, se alinharão tão perfeitamente que parecerão formar um único corpo celeste, no ápice de um movimento raro conhecido como Grande Conjunção.

Um verdadeiro espetáculo brilhante no céu, que será visível a olho nu na maior parte do mundo.

Por que o nome Estrela de Belém?

Por uma coincidência, o alinhamento poderá ser apreciado no mesmo dia do solstício de verão no Hemisfério Sul, perto do Natal — o que rendeu o apelido de “Estrela de Belém”.

Após o ápice da conjunção, nesta segunda-feira, é possível acompanhar os planetas se distanciando no decorrer da semana, de forma gradual, sempre observando o céu cerca de uma hora após o pôr do sol.

 Como ver a Estrela de Belém?

Em seu site, a Nasa divulgou algumas dicas para se ver ao fenômeno em todo o mundo, especialmente em seu ápice nesta segunda-feira (21):

– Encontre um local com uma visão desobstruída do céu, como um campo ou parque. Júpiter e Saturno são brilhantes, portanto podem ser vistos até mesmo da maioria das cidades.
– Uma hora após o pôr do sol, olhe para o céu do sudoeste. Júpiter se parecerá com uma estrela brilhante e será facilmente visível. Saturno ficará um pouco mais fraco e aparecerá um pouco acima e à esquerda de Júpiter até 21 de dezembro, quando Júpiter o alcançará e eles inverterão suas posições no céu.
– Os planetas podem ser vistos a olho nu, mas se você tiver binóculos ou um pequeno telescópio, poderá ver as quatro grandes luas de Júpiter orbitando o planeta gigante.
– A cada noite, os dois planetas aparecerão mais próximos no sudoeste na hora após o pôr do sol.

Por que o fenômeno é tão raro?

Enquanto as órbitas de Saturno e Júpiter alinham os planetas uma vez a cada 20 anos ou mais, este ano marca a primeira vez desde 1623 que os dois gigantes gasosos passam tão perto um do outro. 

grande conjunção deste ano também marca a primeira vez em quase 800 anos desde que os planetas se alinharam à noite e os observadores do céu puderam testemunhar o evento. (A conjunção de 1623 não era visível para os observadores do céu em grande parte da Terra por causa de sua localização no céu noturno, então a última vez que o evento foi visível foi em 1226.) 

Se o tempo permitir e você conseguir capturar uma imagem da Grande Conjunção de 21 de dezembro, mande para o Blog do Abraão.

Fonte – CNN, Jornal O Globo e Nasa

Fotos – Carnegie Institution For Science e NASA / JPL-Caltech

Leave A Comment