Confira dicas para ajudar seu pet na virada do ano

Todo ano é a mesma coisa: os tutores têm que enfrentar o desespero de seus cães e gatos e vê-los correndo em agonia pela casa. Por ter uma audição muito mais sensível, o espocar dos fogos da virada do ano é uma tortura para os patudos, que podem apresentar tremores, taquicardia e até fugir em meio ao barulho.

Vale lembrar que fogos também afetam crianças, idosos, doentes e autistas.

O Blog do Abraão coletou algumas dicas para amenizar esta situação, publicadas no jornal Folha de São Paulo.

  • Antes da queima dos fogos, passeie durante com o pet e estimule brincadeiras para gastar energia
  • Mantenha o pet dentro de casa, com portas e janelas fechadas para abafar os ruídos e evitar fuga
  • Deixe o animal em local tranquilo, sem acesso a varandas, e disponibilize tudo que o animal mais gosta, como cama, cobertor, brinquedo.
  • Também deixe à disposição a caixa de transporte para que ele possa se refugiar em momentos de medo. Felinos gostam de se esconder, para isso, o ideal é restringir o espaço colocando caixas que possam servir de abrigo a eles, principalmente em pontos altos da casa
  • Se o pet quiser se esconder, não force sua saída do esconderijo nem reprima o animal por estar com medo
  • Não use guias. No momento de pânico, o pet pode tentar correr e se enrolar, elevando o risco de enforcamento acidental. Coleiras devem ser mantidas, inclusive com identificação do nome do animal e telefone para contato
  • Transmita tranquilidade. O tutor não deve parecer assustado nem tentar proteger o animal, pois fará o pet acreditar que realmente está em perigo
  • Não deixe o animal sozinho —estar perto faz com que o bichinho se sinta protegidos. Caso seja necessário deixá-lo, a dica é espalhar pela casa alguma peça de roupa, toalha ou coberto com o cheiro do tutor
  • Protetores auriculares próprios para pets podem ser usados no momento de maior barulho
  • TV ou rádio ligados podem disfarçar o som dos fogos. Procure interagir e desviar o foco dos pets
  • Ofereça recompensas e carinho. Esse é um momento de muito estresse para cães e gatos, portanto, não demonstre indiferença ao comportamento deles
  • Não ofereça medicamentos sem orientação de um veterinário na tentativa de acalmá-lo. Para gatos, tutores podem espalhar feromônios pela casa; para cães, deixe ao alcance brinquedos interativos.

O Dibea também aconselha a utilização de protetores auriculares, que impede o som de passar e pode amenizar o sofrimento causado pelo barulho.

Quem não tiver os protetores, faça duas bolinhas de algodão bem compactas e coloque nas orelhas do Pet.

Foto: Pixabay, de Sonja-Kalee

Leave A Comment