Infestação de caramujos africanos preocupa moradores

Espécie pode transmitir várias doenças

Com as chuvas intensas e o calor registrados nas últimas semanas, está ocorrendo a proliferação de caramujos africanos no bairro, com destaque para a Servidão José Amaro Ouriques. O alerta foi dado pela moradora Larissa Nunes, que encaminhou várias fotos ao Blog do Abraão mostrando a concentração desses bichos naquele local.  “Presenciamos  diariamente caramujos africanos atravessando a servidão” de um lado para o outro. Inclusive alguns amassados pelos carros e com a gosma sendo levada pelos pneus”, relata Larissa.

Os bichos, segundo ela, estão mais concentrados na entrada da servidão, nos muros da Floricultura Flor & Ser e da casa ao lado e numa residência que se encontra à venda, onde o mato aos poucos está tomando conta do quintal.

Saúde em risco

O maior problema do caramujo africano é o estrago que esse animal causa à saúde. Ele é o hospedeiro intermediário de dois vermes que podem provocar meningite e problemas gastrointestinais em quem entra em contato direto com o muco produzido. “Quando tirei as fotos uma senhora que passava, moradora da rua, disse que sempre via aqueles caramujos, mas nunca foi informada sobre as doenças que ele podia provocar”, observa Larissa.

Se adultos desconhecem os perigos, imagina as crianças!

 

Como proceder para  descartar os caramujos

A principal providência é o controle pela catação manual, feita com as mãos protegidas com luvas ou sacos plásticos. O uso de pesticidas não é recomendado em função da alta toxicidade dessas substâncias, nem do sal – porque seu uso em excesso prejudica o solo e plantio.

Após a catação, os moluscos devem ser esmagados, cobertos com cal virgem e enterrados. Outra opção é jogar água fervente num recipiente para matar os caramujos recolhidos ou incinerar, desde que estes procedimentos sejam realizados com segurança. O material pode ser ensacado e descartado em lixo comum, mas é preciso quebrar as conchas para que elas não acumulem água e se transformem em focos de mosquitos, como o Aedes aegypti, vetor do vírus do dengue.

Como prevenir

Importante limpar terrenos e evitar matagal alto e o lixo em quintais, jardins e terrenos.

Como o caramujo veio para o Brasil

O caramujo africano foi importado para consumo humano, como uma opção ao escargot. Este molusco é consumido principalmente na África e tem suas vantagens nutricionais, como ser rico em proteínas. Em feira agropecuária na década de 80, no Paraná, foram comercializados kits que incluíam a matriz com um número determinado de exemplares e livretos que ensinavam como iniciar a criação. A promessa era de lucro imediato. Porém, como o brasileiro não tem hábito de consumir este tipo de alimento, a demanda não existiu e os criadores soltaram os moluscos inadvertidamente na natureza, sem imaginar o mal que estavam causando.

Fonte: Blog do Abraão, com informações da Agência Fiocruz de Notícias

Fotos de Larissa Nunes

1 Comentário

  1. Alessandra
    2 anos ago Responder

    A infestação no Campeche também já preocupa. Muitos terrenos baldios e dificuldade dos moradores em recolher os moluscos.

Leave A Comment